segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Primeiro post e O Espadachim de Carvão

Olá aventureiros!
Falaremos sobre livros! Sim, livros!
São realmente belos e prazerosos, mas agora gostaria de falar de um em específico.
Esses dias li "O Espadachim de Carvão" do brasileiro Affonso Solano.
Li com um velho receio de escritores brasileiros que adquiri na escola. Antes dos comentários, vamos ao livro:

Título: O Espadachim de Carvão
Autor: Affonso Solano
Edição: 1
ISBN: 9788577343348

Editora: Fantasy - Casa da Palavra
Ano: 2013
Páginas: 256
Sinopse: Filho de um dos quatro deuses de Kurgala, Adapak vive com o pai em sua ilha sagrada, afastada e adorada pelas diferentes espécies do mundo. Lá, o jovem de pele absolutamente negra e olhos brancos cresceu com todo o conhecimento divino a seu dispor, mas consciente de que nunca poderia deixar sua morada. Ao completar dezenove anos, no entanto, isso muda. Testemunhando a ilha ser invadida por um misterioso grupo de assassinos, Adapak se vê forçado a fugir pela vida e se expor aos olhos do mundo pela primeira vez, aplicando seus conhecimentos e uma exótica técnica de combate na busca pela identidade daqueles que desejam a morte dos Deuses de Kurgala.

Este texto é livre de spoilers.

Cara, para falar a verdade eu gostei bastante do livro! A história é envolvente, o mundo é totalmente novo e você vai descobrindo esse novo mundo junto com o personagem principal, Adapak, o tal espadachim, naquele esquema clássico do mito da caverna, de Platão. No começo, a leitura fica um pouco pesada devido aos detalhes extremos das novas espécies, dos novos lugares e de suas arquiteturas, mas depois fica menos intenso. Como eu disso antes, a história é bem envolvente, faz você não querer parar de ler para descobrir o que diabos aconteceu! A narrativa é intercalada entre antes da invasão da ilha e após, e é feito assim: O primeiro capítulo é após a invasão. O segundo é antes. O terceiro é depois e assim sucessivamente, então no começo ficamos meio perdido mas depois embala! 

O estilo de luta de Adapak, "Os Círculos" é incrivelmente bem pensado!
Então ficamos naquele suspense, o que será que aconteceu, por que aconteceu, e a história vai caminhando, personagens vão aparecendo e aí de repente chega o final. a sensação é bem essa mesmo, parece que o final chega quando se está na metade, o que é bem estranho. O final é um clichê ao extremo, infelizmente. Não gostei desse fim =/
Entretanto valeu a leitura, foi muito bom e eu espero ansioso a continuação programada para o segundo semestre de 2014!

OS DRAGÕES DE FOGO RECOMENDA ESPADACHIM DE CARVÃO!

E a nota para o livro será de 0 a 5 e será baseada nas seguintes categorias:
Personagens, História consistente, Escrita, Início, Desfecho e Dragões.

Personagens: Sim, são bons! Adapak é muito ingênuo e as vezes enche o saco, mas os demais foram bem construidos! Alguns até são baseados em amigos do autor! Um ponto!

História Consistente: Sim, é sim! Com grande influencia suméria, o mundo foi bem construido e explicado. A história é consistente inclusive o final. Um ponto!

Escrita: Livro muito bem escrito, chega a parecer um poema! Parece que cada palavra, cada frase foi muito bem pensado antes de ser escrito! Um ponto!

Início: Bom, porém confuso. Demora a você se acostumar com o ritmo que é bem pesado, porém é ele que te faz ficar querendo ler e ler até acabar! Um ponto!

Desfecho: Não gostei! As respostas são simplesmente vomitada em você naqueles famosos clichês sobre vilões.

Dragões: Não, não tem! Mancada, cara! Todas as coisas deveriam ter Dragões!

Portanto, 4 canecas de hidromel para o Espadachim de Carvão!



Compartilhe este blog com seus companheiros, óh, viajante bem-aventurado!
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz deixando seu comentário!
Obrigado pela visita, volte sempre!
Caso tenha um blog, deixe o link para que eu retribua a visita!