quinta-feira, 10 de abril de 2014

Top 5 - Dragões nas Mitologias.

Olá, aventureiros!
Hoje teremos uma lista com 5 dragões que aparecem em diferentes mitologias!
  • Zu:
Também conhecido como Anzu (de An, que significa "céu", e Zu, que significa "muito"), é um deus-dragão da tempestade pertencente a mitologia suméria. Histórias de Zu foram contadas a partir de cerca de 5000 aC, quando os sumérios se estabeleceram na Mesopotâmia, agora chamado Iraque.
É às vezes descrito como um dragão enorme, e outras vezes descrito como um grifo ou um pássaro tempestade. Ele é filho da deusa-pássaro Siris. Ambos Zu e Siris eram pássaros enormes que podiam cuspir fogo e água.
Zu era um servo do deus-céu Enlil, governante do universo. Ele também foi o servo de Tiamat. Zu roubou o Tupsimati, ou Tábua dos Destinos, de Enlil. Quem possuísse a Tábua dos Destinos teria poderes para governar o universo. Zu voou alto até o topo das montanhas de Sabu, e guardou a tabua como ovos em seu ninho. Enlil enviou o seu filho Ninurta, o deus do sol, para recuperá-la. Após matar Zu, Ninurta resgatou a Tábua dos Destinos e a devolveu para Enlil.

  • Fafnir:
Na mitologia nórdica, Fafnir é o filho do rei anão Hreidmar e irmão de Regin e Otr.
Na Saga dos Volsungos, ele é um anão com um braço poderoso e uma alma sem medo. Certo dia, Loki vê Otr com um peixe, o confunde com uma lontra e o mata. Otr e seus irmãos anões eram metamorfos, então, no caso, Otr tinha se transformado em uma lontra. Após Otr ser morto, Hreidmar recebe o Andvarinaut como recompensa, um anel amaldiçoado, que trazia infelicidade e desgraça ao portador, mas o rei anão e seus filhos não sabiam. Fafnir e Regin matam seu pai pelo ouro, mas Fafnir decide tomar posse completa do tesouro e se torna um dragão. Regin envia seu aprendiz Siegfried para matá-lo, e o jovem parte para a toca do inimigo. Siegfried então mata o dragão Fafnir com um golpe de sua espada Gram, e se banha com o sangue do inimigo para ter invulnerabilidade, exceto por um dos ombros, coberto por uma folha. Regin então pede a Siegfried o coração de Fafnir, e Siegfried também bebe um pouco do sangue do dragão, ganhando a habilidade de entender a língua dos pássaros. Os pássaros o alertam para matar Regin, que tramava a morte do jovem. Siegfried cumpre o pedido, mata Regin e consome o coração de Fafnir, recebendo o dom da sabedoria.

  • Azi Dahaka:
Dragão de três cabeças da mitologia persa, subordinado do senhor das trevas, que aterrorizava os homens, destruía florestas e roubava gado. Possivelmente o percussor do mito dos dragões que roubavam ouro (Smaug like it). Dizia-se que podia controlar tempestades e trazer doenças. Foi derrotado pelo rei místico (as vezes dito como guerreiro deus) Fareydoun. Por não poder ser morto, foi selado à montanha Damavand.
Aparentemente ele escaparia e seria morto rio de fogo Ayohsust, no apocalipse.
O dragão personifica a opressão babilônica sobre a Pérsia.
Azi Dahaka também é conhecido como Zahhak, em persa médio, ele é chamado Dahāg ou Bēvar-Asp, o último significa: "aquele que tem 10.000 cavalos"




  • Ryujin:

Este dragão japonês simbolizava o poder do oceano, tinha uma boca grande, e era capaz de se mudar para a forma de um ser humano. Ryujin, vivia em seu palácio sob o mar construído, de onde controlava as marés com suas jóias mágicas. Tartarugas marinhas, peixes e águas-vivas são frequentemente descritos como seus servos.
Ryujin era o pai da bela deusa Otohime que se casou com o príncipe caçador Hoori. É dito que o primeiro imperador do Japão, o imperador Jimmu, era neto de Otohime e Hoori. Assim, Ryujin é um dos antepassados da dinastia imperial japonesa.
De acordo com a lenda, a Imperatriz Jingu foi capaz de realizar seu ataque contra a Coreia com a ajuda das jóias da maré. Ao enfrentar o mar coreano, Jingu jogou kanju, a jóia para baixar as marés, para o mar, e a maré recuou. A frota coreana foi presa, e os homens saíram de seus navios. Jingu então jogou o manju, jóia para subir as marés, e a água subiu, afogando os soldados coreanos.
Outra lenda envolvendo Ryujin é a história sobre como a água-viva perdeu seus ossos. De acordo com essa história, Ryujin queria comer o fígado de um macaco e enviou a água-viva para capturar e trazer um macaco. O macaco conseguiu esgueirar-se longe da água-viva, dizendo-lhe que ele tinha colocado o fígado em um frasco na floresta e se ofereceu para ir buscá-lo, conseguindo fugir. A água-viva voltou e disse a Ryujin o que tinha acontecido. O dragão ficou tão irritado que bateu na água-viva até que seus ossos fossem esmagados.
O pokemon Gyarados foi baseado em Ryujin.

  • Jormungand:
Na mitologia nórdica, Jörmundgander ou Jormungand é o segundo filho de Loki com a gigante Angrboda. Tem como irmãos o lobo Fenris e Hel. Jormungand tem o aspecto de uma gigantesca serpente.
Odin raptou os três filhos de Loki, sendo Jormungand jogado no grande oceano que circula Midgard, aonde viveu desde então. A serpente cresceu tanto que seria capaz de cobrir a Terra e morder sua própria cauda. Como resultado disso, ganhou o nome alternativo de Serpente de Midgard ou Serpente do Mundo.
Durante o Ragnarök, ela se libertará e cobrirá a terra e os céus com seu veneno.
Thor teve três encontros com Jormungandr. Uma vez, Thor tinha que levantar a serpente, disfarçada como um gato. Era tão pesada que o deus só conseguiu levantar uma pata. Outra vez, Thor pescava com Hymir, o gigante pescador. Ele pegou a criatura e teria matado com Mjolnir se Hymir não tivesse ficado tão assustado e cortado a linha, mandando Jormungandr de volta para o mar.
O terceiro será no Ragnarok, onde Thor está destinado a matar a serpente, mas após isso só conseguirá dar nove passos e morrerá com seu veneno.

  • Bônus "Quase Dragão": Boitatá:
No folclore brasileiro, o Boitatá é uma gigantesca cobra-de-fogo que protege os campos contra aqueles que o incendeiam. Vive nas águas e pode se transformar também numa tora em brasa, queimando aqueles que põem fogo nas matas e florestas.

A palavra, de origem indígena como a lenda, tem o significado de cobra (mboi) de fogo (tata), sendo Mbãetata em sua lingua original.
Descrevem o Boitatá como uma serpente com olhos que parecem dois faróis, couro transparente, que cintila nas noites em que aparece deslizando nas campinas, nas beiras dos rios.
A versão que predominou foi a do Rio Grande do Sul. Nessa região, narra a lenda que houve um período de noite sem fim nas matas. Além da escuridão, houve uma enorme enchente causada por chuvas torrenciais. Assustados, os animais correram para um ponto mais elevado a fim de se protegerem. A boiguaçu (sucuri), uma cobra que vivia numa gruta escura, acorda com a inundação e, faminta, decide sair em busca de alimento, com a vantagem de ser o único bicho acostumado a enxergar na escuridão. Decide comer a parte que mais lhe apetecia, os olhos dos animais e de tanto comê-los vai ficando toda luminosa, cheia de luz de todos esses olhos. O seu corpo transforma-se em ajuntadas pupilas rutilantes, bola de chamas, clarão vivo, boitatá, cobra de fogo. Ao mesmo tempo a alimentação farta deixa a boiguaçu muito fraca. Ela morre e reaparece nas matas serpenteando luminosa. Quem encontra esse ser fantástico nas campinas pode ficar cego, morrer e até enlouquecer. Assim, para evitar o desastre os homens acreditam que têm que ficar parados, sem respirar. e de olhos bem fechados.
O boitatá é a entidade mais parecida com um dragão no folclore brasileiro.

Já fizemos um TOP 5 sobre dragões da cultura pop! Clique aqui para conferir!

Compartilhe esta postagem com vossos amigos, navegante!
Aproveite e curta nossa página no facebook!
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

5 comentários:

  1. Olá!
    poxa, não entendo nada de dragões rsrs mas agora já tenho uma noção ;)
    beeijo!

    http://draamin.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Carol!
      Dragões são o máximo!!!
      Bjo!
      ;)

      Excluir
    2. São mesmo! São as criaturas mitológicas mais fascinantes e variadas!!

      Excluir
  2. Apesar de ser uma entusiasta da mitologia nórdica, confesso que o mito da serpente Jormungandr é muito bom!

    Obrigada por visitar o blog Livros e Nerdices, Kaio! E meus parabéns pelo seu blog!

    Beijos :D

    www.livrosenerdices.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cassidy!
      Também sou um grande entusiasta da mitologia nórdica!
      Muito obrigado pelo comentário!
      .)

      Excluir

Faça um blogueiro feliz deixando seu comentário!
Obrigado pela visita, volte sempre!
Caso tenha um blog, deixe o link para que eu retribua a visita!