segunda-feira, 30 de novembro de 2015

[Livro] 2011 D.C., O Condado dos Expatriados - Ricarte Sales

Olá, pessoas!
Hoje o papo é livro!

2111 D.C. O Condado dos Expatriados:

Autor: Ricarte Sales
Série: 2011 D.C. Vol. 1
Edição: 1
Editora: Ler Editorial
Ano: 2015
Páginas: 240
Sinopse: Em dezembro de 2036, um mês após eclodir a Terceira Grande Guerra, uma série de catástrofes, aparentemente naturais, e uma suposta arma química em forma de vírus, dizimou, a nível global, mais de 99,9% da espécie humana.
Nos seis meses que se seguiram, o nível do mar subiu cerca de 70 metros, ao passo em que a crosta terrestre tornou-se instável, salvo um conjunto de arquipélagos recém-formado, nas proximidades fronteiriças das antigas nações da Costa Rica e Panamá. Por motivos ainda não conhecidos, essa passou a ser a única área estável do planeta de que se tem notícia.
Nas primeiras duas décadas após o Dezembro de 2036, ou “D36” como ficou conhecido, esta área foi sistematicamente ocupada pelos últimos remanescentes da população humana. A maior parte, resgatada e trazida por expedicionários, dos mais variados rincões dos antigos continentes.
Doze Cidades-Estado emergiram e a zona estável, com as mais de duzentas ilhas que a compunha, foi demarcada e subdividida entre elas. Posteriormente, este número cairia para onze Cidades-Estado.
E é neste instável cenário político, de mares salpicados por ruínas, navegantes exploradores e criminosos expatriados de vida nômade, que o Capitão Cananeu Zus Airã narrará os 111 dias de uma saga que poderá conduzir a zona estável e suas novas e últimas nações, para aquilo que uma profecia “Pós-Apocalipse” alude ser: o Quarto e Último Grande Conflito entre Tribos.

Em águas e terras estranhas, sempre considere a pior hipótese como a mais provável.

Este texto é livre de spoilers.

O livro se passa em um mundo distópico onde a população mundial foi quase dizimada e o planeta é mais aquático que nunca. A trama é sobre o Capitão Zus Airã, que depois de um incidente se perde e vira um náufrago. Ele vaga pelo novo mundo e se depara com perigosos narcomercadores expatriados.

Bem se vê desde o começo que é um livro feito com esmero. Detalhes importantes e trama muito bem construída. Apesar de a narração ser feita por um personagem, o autor usa diversas vezes de um recurso para contar o passado e o presente desse mundo: através de diálogos e suposições dos próprios personagens. Isso, mais o fato dos capítulos serem curtos, a história fica bem fluida e a leitura corre solta.

O personagem principal é o Capitão Zus Airã. É um personagem forte e sagaz, um ótimo protagonista. Há outros personagens, mas nenhum com tamanha expressão na narrativa como esse. Tudo gira em torno dele. Assim, o livro carece de grandes personagens, mas os poucos que participam chegam a cativar, como a Branca de Neve.
Interessante é que como Zus está em terras e águas estranhas, não conhece ninguém, sendo assim, não sabe os nomes de ninguém. Então os personagens são chamados por apelidos cedidos pelo capitão.

- A bem da verdade, Homem de Canaã, os únicos amigos de um expatriado, é sua faca, seu cão, e os sete palmos de terra que o aguarda.

A trama se passa no ano de 2111. Algo aconteceu com o mundo e a população mundial foi quase dizimada. As calotas polares degelaram e o mundo foi inundado, restando apenas algumas ilhas habitáveis. É um cenário diferente das distopias atuais (lembra muito aquele filme antigo com o Kevin Spacey, Waterworld - O Segredo das Águas), mas também retrata, ainda de forma superficial até mesmo por ser o primeiro livro de uma trilogia, a organização política, algo que pesa muito ao gênero distópico. Como disse, essa parte é meio superficial, mas o livro deixa claro que será de suma importância em suas sequencias. A história é mais de exploração e aventura em um cenário distópico.

A narrativa tem uma escrita quase que formal demais. Pode complicar a leitura, mas apenas no começo. Depois que a história engrena o leitor já há de ter se acostumado ao modo de relato.

A edição tem uma capa muito bonita, sem erros de português e uma diagramação muito boa. No fim há um mapa e as bandeiras das novas nações. Este é o primeiro livro de uma trilogia a ser lançada pela Ler Editorial.

Em suma, um livro incrível, com uma história original e um bom protagonista. Uma leitura fluida e imersiva. Um livro distópico diferente e cativante!

Nota: 4,5 Canecas de Hidromel



Sobre o autor:

Ricarte Sales nasceu em 1979, no Rio Grande do Norte. Mora na cidade do Rio de Janeiro desde 2001. Leitor assíduo e autodidata, com uma paixão especial pelas tramas de Ficção Política, Ricarte deu vida a distopia "2111 D.C. - O Condado dos Expatriados".

O livro de estreia do autor será lançado em breve com o selo Ler Editorial e é o primeiro volume de uma Trilogia.

Facebook | Skoob | Editora



Até mais, e obrigado pelos peixes.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

8 comentários:

  1. Olá Kaio!
    Não sou muito fã de distopias mas curti a proposta desse! Parece fugir daquela coisa de jovem escolhido que precisa salvar o mundo. Curti!

    Marquei o seu blog na TAG Hábitos de Leitura lá no Entrelinhas Fantásticas :)
    http://www.entrelinhasfantasticas.com.br/2015/12/tag-habitos-de-leitura.html

    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas | SORTEIO 250 SEGUIDORES! NOS SIGA E PARTICIPE :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      É isso mesmo!!! Recomendo que leia!!
      Opa, obrigado por marcar, vou lá conferir!!
      Bjo!
      =D

      Excluir
  2. Achei bem legal a parte de vírus ter se disseminado pela população, e quanto ao nivel do mar do jeito que o mundo tá nem sei se isso é tão distópico assim. Parece ser uma história super interessante mesmo!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "Tempestade de Areia", vem conferir!

    ResponderExcluir
  3. Oi Kaio!
    Adoro distopias e gostei muito de conhecer este livro. Parece ser uma leitura que prende, fiquei curiosa para conhecer este mundo. :)
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Daniela!
      E é mesmo!!! Pois vá ler!!! E depois conte o que achou!
      =D

      Excluir
  4. Oi Kaio. Tudo bem???

    Sempre prometo não me interessar por novas trilogias ou séries, mas cada vez que vejo um relato tão bem construído sobre um livro fico me roendo para lê-lo. Quero e preciso urgentemente dessa história. Amo livros distópicos e esse com certeza acertou o meu calcanhar de Aquiles. :D :D Bjoks da Gica.

    umaleitoraaquariana.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Giane!
      Que bom que gostou!!!
      Olha, precisa mesmo, é um livro magnífico!
      Bjo!
      =D

      Excluir

Faça um blogueiro feliz deixando seu comentário!
Obrigado pela visita, volte sempre!
Caso tenha um blog, deixe o link para que eu retribua a visita!